Biografia

André Gaio Pereira é um violinista a residir em Londres, nomeado Prémio Maestro Silva Pereira - Jovem Músico do Ano 2017. Interessado em diversas áreas da música, apresenta-se regularmente como recitalista e concertista, em música de câmara e em orquestra.

Nascido em Braga em 1994, André iniciou os estudos de violino aos 7 anos. Dois anos mais tarde fez a sua estreia a solo na Festa da Música (CCB). Estudou com a professora Inês Saraiva e mais tarde com o professor Aníbal Lima enquanto em Portugal, tendo ingressado na classe do romeno Remus Azoitei quando se mudou para Londres e entrou na Royal Academy of Music em 2012.

Em 2017 obteve o 1º Prémio no Prémio Jovens Músicos, onde tinha já sido o primeiro laureado no Nível Médio em 2010. Foi também nesse ano que venceu o Concurso Internacional do Fundão –Nível IV. Em 2016 foi distinguido com o 2º Prémio no Concurso Vasco Barbosa. Como solista, André apresentou-se com a Orquestra Gulbenkian, a Orquestra do Algarve e a Orquestra Metropolitana de Lisboa. Desde tenra idade que se interessa por opiniões diferentes e versáteis, tendo assim participado em masterclasses com os professores Igor Oistrakh, Gilles Apap, Zakhar Bron, Anna Chumachenko, Pavel Vernikov, Maxim Vengerov e Gyorgy Pauk.

A sua paixão por música de câmara levou-o a formar vários grupos, nomeadamente o Trio Flatus e o Quarteto Tagus. Neste âmbito apresentou-se nos festivais Harmos, Mendelssohn on Mull e no Festival Internacional de Música do Marvão. O Quarteto Tagus foi nomeado grupo de música de câmara em residência na Royal Academy of Music na temporada 2016/2017 e nesse ano apresentaram-se também no prestigiado Wigmore Hall e lado a lado com o Doric Quartet.

Enquanto músico de orquestra André apresentou-se por diversas vezes como concertino da Academy Symphony Orchestra sob a regência de maestros como Semyon Bychkov, Sir Mark Elder e Edward Gardner. Em 2015 foi seleccionado para representar a universidade no Pacific Music Festival onde trabalhou com Valery Gergiev. Na temporada 2016/2017 integrou o London Symphony Orchestra String Experience Scheme e desde então que é membro reforço regular da orquestra.

Actualmente, André está a terminar o seu Mestrado em Performance na Academy sob a tutela de Levon Chilingirian. É recipiente de uma bolsa completa da prestigiada ABRSM e ainda generosamente auxiliado pelas instituições Fundação Calouste Gulbenkian, Help Musicians UK e Countess of Munster Musical Trust.

  • Timeline
  • Mas a minha vida não é só música. Quando não estou de violino na mão gosto de muito de ler e escrever. Leio os clássicos e poesia, filosofia e história… O que achar interessante! Também me dou ao malabarismo e sou um iniciante de xadrez. Quando o sol espreita pego na bibicleta e vou explorar os arredores!